Baladas E Notícias

HAREM MUSIC BAR - ´sábado 10/09 - EXPOSERRA

HAREM MUSIC BAR - sexta 09/09 - EXPOSERRA

HAREM MUSIC BAR - Quinta 08/09 - EXPOSERRA

SEXTA & SÁBADO - EXPOSERRA 2016

 
 
CLIQUE AQUI !!! E VEJA TODAS AS FOTOS
http://www.tangaravip.com.br/p/blog-page_15.html

Edmundo estreia na Fox com pedido de desculpa ao vivo por crítica a Marcelo 94




O ex-jogador Edmundo estreou no programa A Última Palavra da Fox Sports na noite deste domingo (11) após não ter o contrato renovado na TV Bandeirantes. Logo em sua primeira participação, o comentarista demonstrou humildade e fez um pedido de desculpas ao técnico Marcelo Oliveira por uma declaração feita na época em que trabalhava no canal aberto.
“Queria pedir desculpas pro Marcelo, que acabei criticando ele com mais força na antiga emissora, confesso que levado pelo coração e até pelos números que impulsionavam lá. Foi mais pelo coração do que pelo trabalho”, disse Edmundo.
O comentarista se mostrou claramente arrependido pelas críticas feitas ao treinador em junho deste ano. Na época, Oliveira tinha assumido o Atlético-MG há um mês depois de deixar o comando do Palmeiras. Durante o programa Terceiro Tempo, Edmundo disse que o comandante era preguiçoso e que o Alviverde não vencia pela falta de treinamentos.
Em link ao vivo no programa da Fox Sports, o treinador aceitou o perdão do ex-jogador, apesar de ter ficado chateado com as palavras ditas por Edmundo na ocasião.
“Edmundo, boa noite, você não precisa se desculpar em nada. Estou no futebol há muitos anos como atleta e treinador e acostumado a esse tipo de coisa, posso não concordar, mas me dou bem com essas situações, é o papel de vocês fazerem as críticas, às vezes as críticas são por desinformação, mas às vezes são construtivas e nos trazem detalhes mais importantes”, declarou o comandante da agremiação mineira.
Também presente na bancada do A Última Palavra, o jornalista Fábio Sormani amenizou a situação e justificou as críticas de Edmundo ao técnico.
“Isso não significa que não apreciamos seu trabalho, mas que no Palmeiras você não desenvolvia o trabalho que nós esperávamos”, comentou
Na reta final do programa, a Fox Sports prestou uma homenagem ao estreante. ''Faltava um camisa 10 igual a você aqui'', disse o apresentador Benjamin Back.
''Hoje aqui me senti lisonjeado, foi um privilégio de tanta informação que vocês levam ao público. Estou muito feliz aqui hoje'', falou Edmundo, aplaudido pelos integrantes presentes na bancada.
Estreia animal
Edmundo aproveitou para fazer críticas ao futebol brasileiro. O comentarista deu a entender que a qualidade do jogador deveria ser colocada à frente de todo o capital que rola no mercado da bola.
“O Flamengo é o único time que tem três bons centroavantes no Campeonato Brasileiro. Porque tem o Guerrero e Damião, mas também o Felipe Vizeu, que é um ótimo atacante. Se fosse o futebol-empresa, no custo-benefício, ele seria o titular”, disse.

FONTE SITE UOL

Acusações contra Cunha vão além do Conselho de Ética; entenda


O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara afastado de seu mandato por ordem do STF (Supremo Tribunal Federal), deve enfrentar nesta segunda-feira (12) a votação de seu pedido de cassação na Câmara dos Deputados.
Além das acusações que enfrenta na Câmara, o deputado é alvo de processos e inquéritos no STF (Supremo Tribunal Federal) que investigam suspeitas de que ele tenha participado de esquemas de recebimento de propinas, alguns deles ligados ao chamado petrolão, caso de corrupção que envolve as principais empreiteiras e partidos políticos do país.
Veja as principais acusações contra o deputado:
Reprodução
Trecho da denúncia da PGR contra Eduardo Cunha, protocolada no STF


Propina em navios da Petrobras

A primeira denúncia que transformou Cunha em réu foi apresentada pela Procuradoria-Geral da República em agosto do ano passado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O Supremo, por unanimidade, decidiu abrir o processo em março.
A acusação é de que Cunha teria recebido US$ 5 milhões de propina relativa a dois contratos de navios-sonda da Petrobras. De acordo com o ministro Teori Zavascki, a denúncia traz indícios de que Cunha e a ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ) teriam atuado, a partir de 2010, para cobrar o pagamento de parcelas atrasadas de propina relativa aos contratos de navios-sonda.
O advogado de Cunha na Lava Jato, Antonio Fernando de Souza, afirmou na sessão de julgamento que não há provas de que seu cliente tenha recebido valores ligados à suposta propina. "Apesar de as denúncias se referirem a diversas transferências de valores, nenhuma delas se refere a Eduardo Cunha", afirmou Fernando de Souza à época.
Os advogados de Solange Almeida afirmam que não há provas de que ela tivesse conhecimento do suposto esquema ou se beneficiado dele.

Contas secretas na Suíça

A segunda denúncia acolhida pelo STF, também apresentada pela PGR, foi aceita por unanimidade na Corte em 22 de junho. Cunha se tornou réu pelo suposto recebimento de propina em contas secretas na Suíça, suspeito dos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e falsidade ideológica com fins eleitorais.
Reprodução
Reprodução do ofício de Janot à Câmara sobre contas de Cunha na Suíça


Segundo a PGR, Cunha teria utilizado contas na Suíça para receber propina relativa à aquisição, pela Petrobras, de um campo de petróleo na costa do Benin, na África, em 2011, por US$ 34 milhões (cerca de R$ 58 milhões, à época).
As investigações apontaram que uma conta ligada a Cunha teria recebido 1,3 milhão de francos suíços após o negócio ser fechado, o equivalente à época a R$ 2,4 milhões. O dinheiro teria custeado despesas luxuosas da família Cunha no exterior.
Cunha disse respeitar a decisão do STF. "Mas confio que, ao final do processo, serei inocentado", ressaltou. Segundo afirmou o deputado, em nota enviada por sua assessoria de imprensa, os ministros do STF não levaram em consideração argumentos da defesa como a alegação de que não teria ocorrido uma suposta reunião de Cunha com representantes do PMDB na Petrobras apontada pela denúncia.

Ação de improbidade

Em ação da força-tarefa da Lava Jato na Justiça do Paraná, Cunha se tornou réu por improbidade administrativa em junho deste ano. Ele teve seus bens e contas bloqueados.
A decisão impede Cunha e sua mulher, Cláudia Cruz, de vender imóveis, veículos ou movimentar contas bancárias em seu nome ou em nome das empresas C3 Produções Artísticas e Fé em Jesus, que são de propriedade do casal.
Pedro Ladeira-5.nov.2015/Folhapress
O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e a mulher, Cláudia Cruz


A força-tarefa da Lava Jato pediu à Justiça que condene o deputado afastado à reparação de US$ 10 milhões à Petrobras (cerca de R$ 33 milhões), ao pagamento de multa civil no triplo do valor do suposto enriquecimento ilícito apurado ao final do processo, e à perda dos direitos políticos por dez anos.
A defesa do deputado pediu ao STF a suspensão da ação, o que foi negado pelo ministro Teori Zavascki. À época, Cunha disse que a ação da Justiça foi "absurda" e proposta "na ânsia de gerar fatos". Segundo a defesa do deputado, ele não poderia ser denunciado por improbidade administrativa pois nunca ocupou cargos na administração da Petrobras.
"A absurda ação não poderia jamais ser proposta contra quem não praticava atos na Petrobras", disse o deputado. "Além de não ter nada a ver com os fatos, eu não era dirigente da Petrobras", afirmou o deputado.

Corrupção na Caixa

A Procuradoria-Geral ofereceu outra denúncia envolvendo Eduardo Cunha em junho, pelo suposto envolvimento do deputado em um esquema de corrupção na Caixa. Ela ainda está sob análise do Supremo.
O peemedebista é acusado de participar de esquema de propina ligado à liberação de recursos do FI-FGTS, fundo de investimentos do FGTS. A ação é baseada na delação do ex-vice-presidente da Caixa, Fábio Cleto, apontado como próximo a Cunha. O STF ainda não decidiu se abre ação penal nesse caso.
Em nota, Cunha afirmou que não possui "operador" e que não autorizou "ninguém a tratar qualquer coisa" em seu nome.

Seis inquéritos no STF

Há ainda seis inquéritos em que Cunha é investigado por suspeita de participação em casos de corrupção. O deputado nega as acusaçoes e tem afirmado que vai provar sua inocência.
Um dos inquéritos apura se ele recebeu R$ 52 milhões em propina do consórcio formado por Odebrecht, OAS e Carioca Christiani Nielsen Engenharia, que atuava na obra do Porto Maravilha, no Rio.
Outro investiga o deputado por suposto recebimento de propina da Furnas, empresa estatal de energia. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que Cunha era um dos líderes de uma célula criminosa que atuava na empresa. O inquérito foi aberto pelo ministro Dias Toffoli, depois de Teori entender que o caso não estava diretamente ligado às investigações da Lava Jato.
Cunha negou envolvimento em irregularidades tanto no caso do Porto Maravilha quanto no de Furnas. Além disso, ao responder sobre Furnas, acusou Janot de ser "despudoramente seletivo".
O deputado também é alvo de inquéritos que investigam o financiamento de diversos políticos por meio do petrolão, pela suposta venda de emendas parlamentares, pela apresentação de requerimentos para pressionar o banco Schahin e pelo suposto favorecimento à OAS em troca de doações eleitorais.
Em todos os casos, ele diz ser inocente e afirma não ter envolvimento com irregularidades.

Parentes na mira das investigações

A mulher de Cunha, Cláudia Cruz, e a filha mais velha do deputado, Danielle Dytz da Cunha Doctorovich, também são alvo de investigações sob a responsabilidade do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pela Operação Lava Jato. Cunha tentou levar as ações para o Supremo Tribunal Federal, mas o plenário da Corte rejeitou o pedido por nove votos a dois.
Montagem


Moro aceitou denúncia contra Cláudia Cruz e abriu processo contra ela pelos crimes de lavagem de dinheiro em processo baseado nos mesmos fatos da segunda denúncia contra Cunha aceita pelo Supremo. Os procuradores da Lava Jato apontam que o dinheiro recebido por Cunha em contas no exterior transitou por duas contas secretas do deputado até chegar a uma conta em nome de sua mulher.
Já a filha de Cunha é alvo de um inquérito, mas não chegou a ser denunciada por nenhum crime pelo Ministério Público. Um cartão de crédito que teria utilizado recursos das contas no exterior estava em nome de Danielle.
O deputado afirma não ser titular de contas fora do país, mas de trusts, um tipo de investimento no qual os bens passam à administração de terceiros. Ele nega ter recebido propina e diz que os repasses a suas contas no exterior foram o pagamento de um empréstimo feito por ele a um ex-deputado.

Afastado do mandato pelo STF

Em maio, o Supremo determinou seu afastamento do mandato, por suspeitas de que ele agia para atrapalhar as investigações contra ele.
O deputado tem negado ter praticado irregularidades e diz que vai provar sua inocência na Justiça. Ao renunciar à presidência da Câmara, Cunha acusou a PGR (Procuradoria-Geral da República) de dar prioridade às investigações contra ele, diferentemente de outros políticos sob suspeita. "Sofro da seletividade do órgão acusador [a PGR] que atua com relação a mim diferentemente do que outros investigados com mesmo foro", disse.
Ele também afirmou não ter participado de nenhum esquema ilegal: "Quero reiterar que comprovarei a minha inocência nesses inquéritos, confiando na Justiça do meu país. Reafirmo que não recebi qualquer vantagem indevida de quem quer que seja."
Sobre as acusações no Conselho de Ética, Cunha diz que não mentiu e alega possuir apenas trusts em outros países, que seriam, segundo sua defesa, um tipo de investimento diferente das contas correntes e não exigiriam declaração obrigatória à Receita Federal.
FONTE SITE UOL

Mato Grosso já registra mais de 26 mil casos de dengue


Mato Grosso já registrou 26.075 casos de dengue em 2016. Nos primeiros oito meses de 2015, foram 23.067 notificações, o que representa um aumento de 13%.

Diante do aumento no número de casos notificados, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) reforça o alerta para intensificar as ações de prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti, o transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus.

Em relação ao zika vírus, são 24.309 casos suspeitos no Estado este ano. Devido à incidência, Mato Grosso está com risco alarmante, com 744 casos por 100 mil habitantes. No mês de agosto 12 municípios notificaram a doença e a maior incidência foi registrada em Ipiranga do Norte e em Ribeirão Cascalheira.

Em 2016 já foram registrados 1.396 casos suspeitos de febre chikungunya, o que representa uma incidência de 43 casos para cada grupo de 100 mil habitantes.

Para reduzir os impactos causados pelo mosquito Aedes aegypti, a SES alerta os municípios para que mantenham a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e o manejo correto para que mortes sejam evitadas.

Além disso, devem ser desenvolvidas ações de mobilização, inspeções domiciliares para eliminação de criadouros, atividades educativas para orientar a população sobre como evitar focos do vetor e também aplicação de inseticida para eliminação de insetos adultos.

A SES também alerta a população para combater o mosquito. O Estado monitora semanalmente a progressão dos casos e orienta os municípios nas ações, mas 80% dos criadouros do mosquito estão nas residências
FONTE - MIDIA NEWS


LUAN SANTANA - EXPOSERRA 2016

IVETE SANGALO - EXPOSERRA 2016

ESQUENTA CHOPADA 2016

Olimpíada dá isenção fiscal a Odebrecht, Globo e quase 800 empresas

 
 
A Olimpíada do Rio-2016 dará isenção fiscal para um total de 780 entidades e empresas. Entre elas, estão gigantes como a Globo, a Odebrecht, o Bradesco, a Coca-Cola e a Nike. Além disso, firmas de pessoas ligadas ao presidente do Comitê Organizador do Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, também são favorecidas. A Receita Federal confirmou o benefício aos integrantes da lista, mas não informou a parte de cada um no bolo.
Em 2013, a presidente Dilma Rousseff, hoje afastada, sancionou a Lei 12.780 aprovada pelo Congresso que concedia isenções fiscais ao COI (Comitê Olímpico Internacional) e ao Rio-2016. Isso incluiu fornecedores de serviços e patrocinadores do evento. É uma exigência do COI ao país-sede, compromisso firmado na candidatura do país, e praxe em outras edições. No Brasil, o total previsto é de R$ 3,8 bilhões.
“A Lei tem o propósito de criar incentivos fiscais para o comitê organizador. Isso é nos moldes da Copa do Mundo para desonerar custos da realização'', informou o comitê. “O Rio-2016 requer as habilitações. Só as empresas que estão com regularidade fiscal que podem ser incluídas, e só em notas para pagamento do Rio-2016.''
As isenções se restringem aos serviços ou produtos usados pelas empresas ou entidades para os Jogos, no período de janeiro de 2013 e 2017. Cada empresa passa a ter o direito a não pagar os impostos a partir do momento em que a Receita a inclui na lista.
No caso das empresas nacionais, elas não precisam pagar nenhum imposto de importação para produtos ou serviços vindos do exterior. Também não pagam IPI de produtos adquiridos no país para realizar os Jogos, nem têm de quitar PIS/Pasep e Cofins por serviços contratados. Firmas vinculadas ao COI não têm de pagar nem imposto de renda.
Envolvida na operação Lava-jato por acusações de corrupção, a Odebrecht tem duas empresas na lista de isentas. No início de janeiro de 2015, a empresa foi incluída como integrante do consórcio integrador do Parque Olímpico. Além disso, a Maracanã Entretenimento, subsidiária da empresa que administra o estádio, também goza de isenção.
Questionada, a Odebrecht não quis dar mais informações sobre quais eram os serviços e produtos que tiveram isenção: limitou-se a dizer que fora informada de que poderia gozar do benefício.
A construtora têm a maior parte dos contratos de construção da Olimpíada, incluindo parte do Parque Olímpico, Porto Maravilha, BRT da Transolímpica, entre outros. No total, os projetos ultrapassam R$ 10 bilhões. Mas esses contratos são com a prefeitura do Rio de Janeiro e portanto não devem ter isenção. A Carvalho Hosken, parceira da construtora no parque, também está na lista das beneficiadas.
A Globo Comunicações foi incluída na lista da Receita em maio de 2015 como prestadora de serviços e transmissora oficial do evento. “A isenção se estende aos tributos devidos pelo COI e aquelas entidades em razão de pagamentos feitos por detentores de direito de transmissão – a Globo entre eles'', informou a assessoria da Globo. Acrescentou que o pagamento da importação de equipamentos também está isento.
A emissora disse que ganhos com publicidade não estão livres de impostos. Com cotas de R$ 255 milhões, a Globo ganhará R$ 1,5 bilhão só em propaganda direta com os Jogos. “O valor da desoneração das emissoras é pequeno em relação ao total da isenção prevista em lei'', disse a assessoria.
Um dos dois maiores bancos brasileiros, o Bradesco tem quatro empresas na lista da isenção por conta do patrocínio à competição. São Bradesco Saúde, Companhia de Seguros, Previdência e Seguros. Não fica claro porque a unidade de Seguros foi incluída duas vezes. Todas entraram na lista em junho de 2014. No primeiro trimestre de 2016, o Bradesco teve lucro de R$ 4,1 bilhões. O banco não quis se pronunciar sobre a isenção.
Outros patrocinadores como Coca-Copa, Nike, Panasonic, Tam e Nissan ainda estão na lista. Entre os fornecedores de serviços beneficiados está ainda a WTorre, outra construtora envolvida na operação Lava-Jato, e a Concremat, responsável pela construção da ciclovia da Avenida Niemeyer que caiu matando duas pessoas.
Fora esses grandes grupos, outros favorecidos foram o escritório de advocacia HB Cavalcanti e Mazzilo, que é do amigo de Nuzman Sergio Mazzilo. O escritório foi contratado pelo Rio-2016, como revelou o site da ESPN. A agência de viagens Tamoyo Internacional também ganhou o benefício: trata-se da agência oficial do COB e cuja dona Christiane Paquelet era diretora da entidade.
O Comitê Rio-2016 não respondeu a perguntas específicas sobre cada empresa, mas defendeu sua forma de trabalhar.  “O Comitê trabalha com transparência e uso correto e competente dos recursos. Todos os prestadores de serviços executam suas obrigações para receber as contrapartidas. E as contratações são informadas de forma transparente para a sociedade'', disse por meio de assessoria.
A lei estabelece que o COI ou Rio-2016 têm que disponibilizar informações individualizadas sobre as renúncias fiscais por transparência no processo. O blog pesquisou na sessão de documentos do site do comitê e não encontrou esses dados, e o comitê não informou onde eles estão.
Já o TCU (Tribunal de Contas da União) cobrou transparência no processo de isenções fiscais. Mas a Receita também se recusou a informar quanto cada empresa teve de benefício fiscal. Alega sigilo fiscal.
“Informo que todas as pessoas físicas e jurídicas listadas nos arquivos (lista da própria Receita) abaixo estão habilitadas à fruição dos benefícios tributários referentes à realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, criados pela Lei nº 12.780, de 2013, que detalha quais impostos e em quais condições podem ser suspensos ou isentos'', disse a Receita Federal.
FONTE . SITE UOL

DESAFIO DOS ESTADOS

ENCONTRO DAS COMITIVAS

Cássio segura, Romero faz 2 e Corinthians goleia Flamengo no Brasileiro





Depois de um primeiro tempo inferior e com destaque para as defesas do goleiro Cássio, o Corinthians desencantou na etapa final e goleou o Flamengo por 4 a 0, na Arena de Itaquera, neste domingo, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.
O destaque do duelo foi o paraguaio Romero, autor de dois gols e de uma assitência, enquanto o peruano Guerrero voltou a decepcionar no reencontro contra o ex-clube. O artilheiro flamenguista levou um chapéu de Bruno Henrique e foi vaiado.
O resultado representou a terceira vitória consecuiva no campeonato (antes bateu Santa Cruz e América-MG) e igualou o líder do campeonato, o Palmeiras, em pontos: 25. Mas o time alvinegro tem dois gols a menos de saldo e por isso é o segundo colocado.
A equipe alviverde entrará em campo diante do Sport, em Recife, nesta segunda-feira. Já o Flamengo é o sétimo colocado, com 20 pontos
Romero abriu o placar aos 14 minutos do segundo tempo, em lance iniciado em uma cobrança de escanteio. A defesa flamenguista tentou afastar a bola da área, mas falhou e ela acabou sobrando para Romero, na pequena área, desviar para o gol.
O segundo gol ocorreu aos 32 minutos com um vacilo do lateral esquerdo Jorge, que errou um passe no meio de campo e entregou a bola nos pés de Romero. O paraguaio avançou livre pelo campo de ataque e deu a bola de presente para o meia Guilherme ampliar.
Aos 34 minutos, Rildo aproveitou um rebote do goleiro Alex Muralha e fez o terceiro tento corintiano. Aos 43, Romero ampliou após passe de Rodriguinho.
O Corinthians volta a campo no próximo sábado para enfrentar a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó, pela 14ª rodada do Brasileiro. O Flamengo jogará um dia depois. Fará o clássico contra o Atlético-MG, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.
SENTIU O GOLPE
O Flamengo foi amplamente superior ao Corinthians no primeiro tempo, com 63% da posse de bola, ações no campo ofensivo e muitas chances de gols criadas.
O Corinthians limitou-se a defender, mas nem sempre bem. Foi graças a Cássio (leia mais abaixo) que salvou-se de sofrer gols. No ataque, o time não foi nem sombra do que ocorreu no segundo tempo, quando marcou quatro gols.
Aliás, o primeiro gol de Romero foi responsável por fazer o Flamengo desabar. O time rubro-negro sentiu o golpe, fraquejou na marcação e a equipe alvinegra deslanchou.
Foram quatro gols, mas poderiam ter sido mais não fosse Muralha.
GOLEIROS
O goleiro alvinegro fez boas defesas ao longo do primeiro tempo e foi o melhor jogador do time. Aos 14 minutos, salvou duas vezes em chutes de Cirino e Rafael Vaz a queima roupa.
Cássio voltou a demonstrar ótima forma aos 10 minutos do segundo tempo ao espalmar uma finalização bastante perigosa de Willian Arão. O volante entrou na área após tabelar com Guerrero e escolheu o canto certo do gol, mas o corintiano fez um milagre.
Não foi apenas o arqueiro alvinegro que fez boas defesas. Alex Muralha também justificou o apelido. O lance mais importante dele ocorreu aos 24 minutos, quando Romero lançou Marquinhos Gabriel no ataque. O meia chutou cruzado, com força, mas Muralha defendeu.
TRAVE
O Flamengo fez uma linda jogada aos 31 minutos do primeiro tempo. Guerrero prendeu a bola na área e tocou para Enderson, mais a esquerda, que bateu rasteiro e cruzado. A bola acertou a trave direita do Corinthians. No rebote, Alan Patrick chutou para fora.
VAIAS, CHAPÉU E OFENSAS
Guerrero reencontrou a torcida corintiana pela segunda vez após ter deixado o clube alvinegro e, assim como no duelo em outubro de 2015, o peruano foi vaiado.
O ritual começou assim que ele apareceu para se aquecer no gramado. Teve o segundo ato quando o peruano apareceu no gramado para se aquecer. Prosseguiu assim que os times pisaram no gramado e a cada instante que ele pegava na bola.
A galera corintiana ainda delirou quando Bruno Henrique deu um chapéu em Guerrero, aos 41 minutos do primeiro tempo.
O atacante ainda teve de suportar ofensas, com gritos de ‘mercenário' e ‘Guerrero v...
FONTE- SITE ESPN BRASIL

SP cogita pedir anulação de derrota para a Ponte após arbitragem confusa





O São Paulo cogita pedir a anulação da derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, no último domingo (3), pelo Campeonato Brasileiro, por conta da arbitragem de Vinícius Furlan. O clube está em audiência com a CBF, representado pelo diretor executivo Gustavo Vieira de Oliveira e pelo diretor de futebol José Jacobson.
A possibilidade de anulação do jogo é vista como difícil pelo São Paulo, mas o clube entendeu que precisava se posicionar após a polêmica envolvendo a expulsão de Matheus Reis, ainda no início do primeiro tempo.
Após dar apenas cartão amarelo a Matheus Reis por uma falta dura, Furlan ouviu muitas reclamações da Ponte Preta. O juiz então mudou sua decisão depois de o jogo já ter reiniciado e expulsou o jogador são-paulino.
Na súmula, Furlan explicou que mudou a aplicação de cartão amarelo para cartão vermelho direto após "conferir a gravidade do ferimento" na perna de Matheus Jesus, e afirmou que o quarto árbitro foi da mesma opinião.
Segundo o comentarista da ESPN e ex-árbitro Salvio Spinola, o caso configura um erro de direito do árbitro, por ter alterado uma decisão com o jogo já reiniciado, o que dá margem legal para a partida ser anulada.
Durante coletiva nesta segunda-feira, Maicon aprovou a intenção da diretoria em ver a possibilidade de o jogo ser anulado.
"Acho que a diretoria do SP faz bem em entrar com ação contra a arbitragem. O árbitro tem que ser convicto. Se for ver todo lance em que o jogador está com um arranhão na canela, todo lance tem que ser vermelho. Matheus tinha que ter tomado o amarelo, como o árbitro fez num primeiro momento."
 FONTE - SITE UOL

Bodega - 24 de junho - 2016


                                            
                                            
                                       CLIQUE AQUI ! E VEJA TODAS AS FOTOS
 
Traduzido Por : Blogger | Google
Copyright © 2013. Tangara Vip - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Scobar Produções
TangaraVip!